Bibliotecas especializadas e a comunicação científica para o público leigo

  • Rita de Cassia do Vale Caribe Universidade de Brasília/Faculdade de Ciência da Informação
Palavras-chave: Comunicação científica, Popularização da ciência, Biblioteca especializada

Resumo

Este artigo consiste em uma reflexão quanto a interrelação entre bibliotecas especializadas, principalmente aquelas ligadas a instituições de pesquisa, quanto ao seu papel como comunicador da ciência para o público leigo. Para dar respaldo buscou-se um referencial teórico: conceitos relativos à comunicação científica, em especial a comunicação direcionada ao público leigo, o Balanced Scorecard (BSC), e conceitos relativos à biblioteca especializada. Foi analisado que a biblioteca especializada deve estar em relação de sintonia e sincronia com os processos organizacionais desenvolvidos, fornecendo as informações necessárias, contribuindo com o componente informacional para que a organização alcance sua missão e visão de futuro. A biblioteca integra os ativos intangíveis, está classificada como capital da informação, que se encontra na perspectiva de aprendizagem e desenvolvimento/crescimento, que por sua vez, tem relação de causa e efeito com as demais perspectivas. A biblioteca especializada tem como características o atendimento à instituição na qual está inserida; uma clientela especializada, formada por pesquisadores e cientistas, funcionários ou servidores de uma empresa, órgão público, centro ou instituto de pesquisa. Desta forma, a definição e ampliação da clientela a ser atingida e, consequentemente, os serviços e produtos informacionais a serem oferecidos devem, obrigatoriamente, estar compatíveis, em harmonia com os objetivos/resultados estratégicos da organização, devem ser prestados para a clientela que é foco da instituição ou que esteja incluída na sua política. Se a organização na qual a biblioteca se subordina é uma instituição de pesquisa e desenvolvimento pública ou mantida com recursos públicos, no nível teórico e ético, deve prestar constas à sociedade que a mantém com os recursos provenientes de impostos. Comunicação da ciência para o público leigo resulta em empoderamento da sociedade na medida em que esta compreende, tem capacidade de discernimento, escolha, quanto às decisões que envolvem ciência e tecnologia e suas consequências no seu cotidiano.

Referências

ANDERS, Mary Edna. Reference service in special libraries. Library Trends, v. 12, n. 3, p. 390-404, 1964.

ASHWORTH, Wilfred. Manual de bibliotecas especializadas e de serviços informativos. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1967.

BALL, Rafael. Future trends in special library service. INSPEL, v. 34, n. 3-4, p. 133-140, 2000.

BERNAL, John D. The social function of science. London: George Routledge & Sons, 1939. 482p.

BODMER, W.F. et al. The public understanding of science. London: Royal Society, 1985. 46p. Disponível em: < http://royalsociety.org/displaypagedoc.asp?id=26406>. Acesso em: 9 mar. 2009.

BUENO, Wilson da Costa. Jornalismo científico no Brasil: os compromissos de uma prática dependente. 1984, 364f. Tese (Doutorado)-Escola de Comunicação e Artes, USP, 1984.
BUENO (2010).

CALVO HERNANDO, Manuel. Conceptos sobre difusión, divulgación, periodismo y comunicación. 2006. 3p. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2007.

CARIBÉ, Rita de Cássia do Vale. A biblioteca especializada e o seu papel na comunicação científica para o público leigo. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 10, n. 1, p. 185-203, jan./jul. 2017.

______. Balanced ScoreCard: sua aplicação na identificação de necessidades de informação de usuários. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 9, n. 2, p. 406-420, jul./dez. 2016.

______. Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação e Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 25, n. 3, p. 89-104, set./dez. 2015.

______. Comunicação científica para o público leigo no Brasil. 2011. 320f. 2011. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) -Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília. Brasília, 2011.

______. O papel da biblioteca como espaço de divulgação científica. Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação, XXV. Florianópolis, 7-1- jul. 2013. Anais. Florianópolis: 2013. 15p.

CESARINO, Maria Augusta da Nóbrega. Bibliotecas especializadas, centros de documentação, centros de análise da informação: apenas uma questão de terminologia? Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 218- 241, set. 1978.

FIGUEIREDO, Nice. Serviços oferecidos por bibliotecas especializadas: uma revisão da literatura. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 11, n. 3/4, p. 155-168, jul./dez. 1978.

HENKLE, Herman H. Introduction: what is special? Library Trends, v. 1, n. 2, p. 169-172. 1952.

KAPLAN, Robert S.; NORTON, David P. Mapas estratégicos: balancedscorecard; convertendo ativos intangíveis em resultados tangíveis. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. 491p.

LARSON, Signe E. Reference and information services in special libraries. Library Trends, v. 31, n. 3, p. 475-493, Winter 1983.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000. 350p.

POPLI, Rakesh. Scientific literacy for all citizens: different concepts and contents. Public Understanding of Science, v. 8, p. 123-137, 1999.

REINO UNIDO. House of Lords. Science and Technology: Third Report. Londom: Her Majesty’s Stationery Office, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2009.

RUSSELL, Bertrand. O impacto da ciência na sociedade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976. 126p.

TARGINO, Maria das Graças. Bibliotecas Universitárias e especializadas de São Luís. Revista de Biblioteconomia de Brasília, v. 16, n. 1, p. 19-32, jan./jun. 1988.

WRIGHT, J. E. A biblioteca especializada e o serviço informativo. IN. ASHWORTH, Wilfred. Manual de bibliotecas especializadas e de serviços informativos. 2. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1981. p. 1-12.

ZIMAN, John. A força do conhecimento. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981. 380p.
Publicado
26-11-2023
Como Citar
CARIBE, R. DE C. Bibliotecas especializadas e a comunicação científica para o público leigo. REVISTA ELETRÔNICA DA ABDF, v. 7, n. 2, p. 59-79, 26 nov. 2023.