A relevância de uma formação consistente de bibliotecários gestores da preservação

  • Juliana Bride
Palavras-chave: Preservação de acervo. Formação profissional. Biblioteconomia – currículo.

Resumo

O artigo aborda a importância da preservação de acervos na formação dos futuros bibliotecários. O estudo teve como objetivo analisar as grades curriculares do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) a fim de identificar a temática preservação de acervo, como tópico ou disciplina. Identificou-se que a temática preservação de acervo, sempre existiu no Curso de Biblioteconomia da UNIRIO; e que gradativamente esse assunto vem se tornando cada vez mais valorizado, chegando ao ponto de ter uma disciplina própria, denominada de Políticas de Preservação em Acervos Bibliográficos (PPAB), inserida na grade curricular desde 2010. No entanto, o referido curso possui três eixos de formação, a saber: Eixo I – Biblioteconomia em Memória, Patrimônio e Cultura, Eixo II – Biblioteconomia em Ciência e Tecnologia e Eixo III – Biblioteconomia para Gestão da Informação em Organizações, porém a disciplina PPAB só se torna obrigatória para o aluno do bacharelado que optar por seguir o Eixo I e para o aluno de Licenciatura em Biblioteconomia, já para os demais se mantém como optativa. Constatou-se que a criação de uma disciplina específica para a preservação vem sendo benéfica aos bibliotecários formados pela UNIRIO e se propõe que esta se torne obrigatória para os outros eixos de formação do Curso de Biblioteconomia da UNIRIO.

Referências

ALMEIDA, N. M. M. Análise de políticas de formação e desenvolvimento de coleções de bibliotecas universitárias: identificação dos parâmetros no âmbito da preservação no processo de FDC. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Biblioteconomia) – Escola de Biblioteconomia, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

ARAUJO, Jullyana Monteiro Guimarães. A segurança física de coleções especiais: gerenciamento de risco na Biblioteca Central na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

AZEVEDO, F. C. Da Biblioteca Nacional à Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro: traços do ensino de conservação para bibliotecários. In: 2 ENCONTRO LUSO BRASILEIRO DE CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO, 2013, São João del Rei. 2 Encontro Luso Brasileiro de Conservação e Restauração, 2013. p. 299-315.

BECK, Ingrid. O ensino da preservação documental nos cursos de Arquivologia e Biblioteconomia: perspectivas para formar um novo profissional. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal Fluminense/Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro: 2006. 109 f.

BRASIL. SUPERINTENDÊNCIA NO RIO DE JANEIRO. Ministério do Trabalho e Emprego. Secretaria de Inspeção no Trabalho. Disponível em: http://consulta.mte.gov.br/empregador/cbo/procuracbo/conteudo/tabela3.asp? gg=1&sg=9&gb=1. Acesso em: 12 mai. 2014.

CASSARES, Norma Cianflone. Como fazer conservação preventiva em arquivos e bibliotecas. São Paulo: Arquivo do Estado e Impressa Oficial, 2000. Disponível em: https://goo.gl/HCHgGB. Acesso em: 12 abr. 2014.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Briquet de Lemos/Livros, 2008.

DIAS, Mariana Gonçalves. Biblioteca Setorial da Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro: Um panorama a partir dos níveis de invólucros do Gerenciamento de Riscos. 2019. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

GUIMARÃES, Lygia. Conservação e restauração de documentos em suporte de papel. In: MAST COLLOQUIA. 2007. p. 47-53.

HAZEN, Dan C. Desenvolvimento, gerenciamento e preservação de coleções. In: HAZEN, Dan et al. Planejamento de preservação e gerenciamento de programas. 2. ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional, 2001. p. 7-15.

LE GOFF, Jacques. Documento / monumento. In: LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: UNICAMP, 1978.

LIMA, Iraci Candida de. A gestão de preservação na formação do bibliotecário: uma análise a partir do conteúdo ensinado no curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 2015. 56 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www.unirio.br/cchs/eb/arquivos/tccs-acima-de-9/TCC-%20IRACI%20CANDIDA%20DE%20LIMA.pdf. Acesso em: 6 abr. 2020.

MARTINS, Carolina Cristina Alves. Uma análise dos aspectos e práticas da conservação preventiva de livros presentes em vídeos amadores de booktubes brasileiros. 2018. 73 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biblioteconomia) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

MICHAELIS: moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1998 (Dicionários Michaelis). 2259 p.

VALLE, C. A. Subsídios para uma política de preservação e conservação de acervos em bibliotecas universitárias brasileiras. 1991. 118 f. Dissertação (Mestrado em Biblioteconomia e Documentação) - Universidade de Brasília, Brasília. 1991. Disponível em: http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=44 6. Acesso em: 8 abr. 2015.

WEITZEL, Simone da Rocha. Elaboração de uma política de desenvolvimento de coleções em bibliotecas universitárias. Rio de Janeiro: Interciência, 2013.
Publicado
26-11-2020
Como Citar
BRIDE, J. A relevância de uma formação consistente de bibliotecários gestores da preservação. REVISTA ELETRÔNICA DA ABDF, v. 4, n. Especial, p. 448-461, 26 nov. 2020.