As primeiras ações de preservação da Biblioteca Imperial e Pública da Corte

1820 a 1850

  • Thais Helena de Almeida
Palavras-chave: Biblioteca Nacional. Oficina de encadernação. Insetos bibliófagos. Preservação.

Resumo

Este estudo tem o propósito de investigar as ações implementadas, como a criação da oficina de encadernação e os métodos de combate aos insetos bibliófagos, para a preservação do acervo da Bibliotheca Imperial e Pública e, em que medida, essas ações preservaram suas obras. Ações situadas na primeira metade do século XIX, em uma época onde havia poucas publicações voltadas para a proteção de acervos culturais e incipientes pesquisas na área da entomologia. Esta questão nos faz refletir sobre a responsabilidade e a assertividade das escolhas diante do problema da conservação de uma biblioteca. Contando com reduzidas informações sobre a validade de métodos e produtos e com uma pequena oficina de encadernação, esses empregados trabalharam para garantir a sobrevida da biblioteca e de seu acervo.

Referências

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Relatórios e ofícios do Ajudante Bibliotecário: 1818-1832. Rio de Janeiro. (Série Educação, Bibliotecas, Museus- IE7, nº 25, Ministério do Império-Biblioteca Nacional e Pública da Corte).

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Ofícios do Ajudante Bibliotecário: 1833-1837. Rio de Janeiro. (Série Educação, Bibliotecas, Museus- IE7, nº 26, Ministério do Império-Biblioteca Nacional e Pública da Corte).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Avisos 1822-1833, Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Contas 1825-1850, Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Despesas 1822-1824. Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Officios 1822-1833, Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Officios 1822-1849. Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Officios 1833-1839. Rio de Janeiro. (Coleção Biblioteca Nacional. Divisão de Manuscritos).

BRASIL. [Leis etc.]. Decreto 26 de junho de 1810. Manda collocar a Bibliotheca Real e o Gabinete de Instrumentos de Physica e Mathematicas na Igreja dos Terceiros do Carmo. In: BRASIL. [Leis etc.]. Collecção das leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1810: actos do poder executivo (janeiro a julho). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1810a. v. 1. Também disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret_sn/anterioresa1824/decreto-39955-27-junho-1810-571193-publicacaooriginal-94289-pe.html. Acesso em: 15 jun 2018.

BRASIL. [Leis etc.]. Decreto 29 de outubro de 1810. Manda accomodar a Bibliotheca Real no logar onde estavam as catacumbas dos religiosos do Carmo junto á Real Capella. In: BRASIL. [Leis etc.]. Collecção das leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1810: actos do poder executivo (julho a dezembro). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1810a. v. 3. Também disponível em:
http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret_sn/anterioresa1824/decreto-39997-29-outubro-1810-571396-publicacaooriginal-94523-pe.html. Acesso em: 15 jun 2018.

CANFORA, Luciano. A Biblioteca desaparecida. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

FARIA Maria Isabel; PERICÃO, Maria da Graça. Dicionário do Livro: da escrita ao livro eletrônico. São Paulo: Edusp, 2008.

MARROCOS, Luís Joaquim dos Santos. O Bibliotecário do Rei: Trechos selecionados das cartas de Luís Joaquim dos Santos Marrocos. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2007.

SCHWARCZ, L. M. A Longa viagem da biblioteca dos reis: do terremoto de Lisboa à independência do Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.

SLAIBI, Thais Helena de Almeida. Memórias dos Conservadores, Restauradores e Cientistas na preservação do acervo da Biblioteca Nacional: de 1880 a 1980. 2019. 367 f. Orientadora: Regina Maria do Rego Monteiro de Abreu. Tese (Doutorado em Memória Social) – Programa de Pós-Graduação em Memória Social, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Estado de Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
Publicado
26-11-2020
Como Citar
ALMEIDA, T. H. As primeiras ações de preservação da Biblioteca Imperial e Pública da Corte. REVISTA ELETRÔNICA DA ABDF, v. 4, n. Especial, p. 23-45, 26 nov. 2020.