Depoimento

Eu, calouro

heuller  por Heuller Richard

 

Cursar Biblioteconomia parecia algo impossível, tendo em vista que Frutal (cidade do interior de Minas Gerais, onde cresci) está longe de todas as universidades que oferecem o curso. Venho de família pobre e uma mudança de cidade parecia ilusão. 

Prestei vestibulares em outras áreas, mas sempre desisti antes de começar, afinal não era o que eu queria realmente. Foi então que em fevereiro deste ano, consegui ingressar no curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás e dessa vez resolvi que iria arriscar. Deixei meu emprego, amigos e família no interior e me tornei universitário em Goiânia. Enfrentei muitas dificuldades de adaptação no primeiro mês, afinal saí de uma cidade de 50 mil habitantes para morar pela primeira vez em uma com mais de 1 milhão.

Cheguei com pouquíssimo dinheiro, mas estou sempre sendo apoiado por meus pais, que se sacrificam para me ajudar como podem, e também por Alejandro, um colombiano estudante de mestrado, que se tornou um grande amigo em um mundo desconhecido para ambos. Vim consciente das dificuldades que enfrentaria, sabia que visitaria minha família apenas nas férias. E então a Universidade me acolheu como uma casa, com uma ótima estrutura, me proporcionando a oportunidade de conhecer pessoas incríveis e sempre dispostas a ajudar.

Unindo isso ao que presenciei do curso neste primeiro período, eu não poderia estar mais satisfeito. Com professores muito dedicados e especiais, como as professoras Eliany, Andréa, Fátima e Luciana, é impossível não se apaixonar pela Biblioteconomia, ou não se estar feliz e motivado, o que faz com que os tantos quilômetros de distância não sejam sentidos com tanto peso. Esperei 4 anos para poder cursar o curso de minha escolha, e se fosse necessário esperaria mais 4, ou mais 10, pois não há sensação mais prazerosa do que acordar todos os dias sabendo que estou fazendo algo que gosto, que me faz bem e me inspira.


Sobre o autor: Heuller Richard é aluno do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Goiás.

Mais nesta edição: « Sagitta Especial »