Análise da missão e dos programas educativos na dimensão do brincar nos espaços interativos do Brooklyn Children's Museum

  • Daniella Demathei do Valle Universidade de Brasilia
Palavras-chave: Brooklyn Children's Museum. Museu das crianças. Brincadeira. Programa educativo. Missão.

Resumo

Os chamados Children’s Museums são reconhecidos como espaços onde as crianças aprendem por meio da brincadeira e da exploração de ambientes concebidos especialmente para elas. Ademais, são instituições que por meio de seus aparatos manipulativos são capazes de despertar a curiosidade e a imaginação de seus visitantes. Esses museus atuam como ferramenta complementar ao ensino escolar das crianças bem como proporcionam uma experiência divertida e interativa nas diversas áreas do conhecimento. Nesse segmento, o trabalho tem por objetivo a análise da missão e dos programas educativos na dimensão do brincar oferecidos no Brooklyn Children’s Museumconsiderado o primeiro dedicado especialmente às crianças, fundado em 1899 na cidade de Nova York nos Estados Unidos. Este trabalho apresenta os principais aspectos e características do Museu em análise bem como considerações gerais sobre conceitos que contribuem para a compreensão da brincadeira.

Referências

ASSOCIATION OF CHILDREN’S MUSEUM. About Children’s Museum. Disponível em Acesso em: 20 abr 2017

BREIER, Ana Cláudia Bôer. Museus infantis: uma ferramenta para o aprendizado?. In: III Seminário Educação, Imaginação e as Linguagens Artístico Culturais, Criciúma, 2007

BROCK, Avril et al. Brincar: aprendizagem para a vida. Trad. Fabiana Kanan, rev.
BRUNER, Jerome S. Nature and uses of immaturity. American Psychologist, v. 27, n. 8, p. 687, 1972.

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. After school programs. Disponível em Acesso em: 22 abr 2017

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. History. Disponível em Acesso em: 24 abr 2017

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. In school programs. Disponível em Acesso em: 23 abr 2017

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. Permanent exhibits. Disponível em Acesso em: 24 abr 2017

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. Summer programs. Disponível em Acesso em: 24 abr 2017

BROOKLYN CHILDREN’S MUSEUM. Visiting exhibits. Disponível em Acesso em: 24 abr 2017

CORDAZZO, Scheila Tatiana Duarte et al. Perspectivas no estudo do brincar: um levantamento bibliográfico. Aletheia, n. 26, p. 122-136, 2007.

DIN, Herminia Weihsin. A history of children's museums in the United States, 1899-1997: implications for art education and museum education in art museums. 1998. Tese de Doutorado. The Ohio State University

EVERETT, Michele; PISCITELLI, Barbara. Hands-on trolleys: Facilitating learning through play. Visitor Studies Today, v. 9, n. 1, p. 10-16, 2006

HENDERSON, Tara Zollinger; ATENCIO, David J. Integration of play, learning, and experience: What museums afford young visitors. Early Childhood Education Journal, v. 35, n. 3, p. 245-251, 2007.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (Org). Brincar e suas teorias. 10 ed. São Paulo: Cengage Learning Editores, 2015

KISHIMOTO, Tizuko Morchida (Org). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 14 ed. São Paulo: Engage Learning, 2011

LANCASTRE, Margarida de. Porque existem crianças, este museu tem que existir…Museu das crianças: a maravilhosa aventura. Revista Turismo & Desenvolvimento, Aveiro: Universidade de Aveiro, n 9, 2008, p. 126-129

MACÊDO, Lenilda Cordeiro de; DIAS, Adelaide Alves. A Educação na primeira infância no Brasil entre os séculos XIX e XX. In : IX Seminário Nacional de estudos e pesquisas “história, sociedade e educação no Brasil”. Universidade Federal da Paraíba – João Pessoa.

NOVA ESCOLA. Friedrich Froebel, o formador das crianças pequenas. Disponível em Acesso em: 25 abr 2017

PIAGET, Jean. The child's conception of the world. No. 213. Rowman & Littlefield, 1951

SILVA, Osmar Henrique M. et al. Interatividade push-button: elaboração de principais automatizações e suas variadas aplicações em equipamentos demonstrativos de museus de ciência e tecnologia. Semina: Ciências Exatas e Tecnológicas, Londrina, v. 35, n.2, jul./dez., 2014, p. 189-198

STUDART, Denise Coelho. Aparatos interativos e o público infantil em museus: características e abordagens. In: MASSARANI, Luisa (Org.). O pequeno cientista amador: a divulgação científica e o público infantil. Rio de Janeiro: Vieira & Lent/UFRJ/ Fiocruz, 2005. p. 65-76.
téc. Maria Carmen Silveira Barbosa. Porto Alegre: Penso, 2011

VALENÇA, Vera Lucia Chacon. A criação do museu das crianças de Santa Catarina: uma experiência em andamento. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 319-338, jan./jun. 2006

VALENÇA, Vera Lúcia Chacon. O Museu da Crianças: educação, redes internacionais e acervo. Revista Teias, v. 11, n. 21, p. 9 pgs., 2010

VALENÇA, Vera Lúcia. Chacon. Museu das crianças: a experiência piloto no Brasil. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2008

VYGOTSKY, L. S. Mind in society: The Development of Higher Psychological Processes. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1978
Publicado
02-02-2020
Como Citar
DO VALLE, D. Análise da missão e dos programas educativos na dimensão do brincar nos espaços interativos do Brooklyn Children’s Museum. REVISTA ELETRÔNICA DA ABDF, v. 3, n. 2, p. 27-45, 2 fev. 2020.